Livia Emily - Será que alguém aceitaria se casar comigo e morar numa casinha a quatro casas de distância?
Será que alguém aceitaria se casar comigo e morar numa casinha a quatro casas de distância?
Eu acredito com todas as forças que todo mundo tem potencial para viver um grande amor, as pessoas só tem preguiça de desenvolver esse potencial todo... dá trabalho sabe? Tem que se desprender de muitas coisas, não é simples.


Tem um cálculo que não sei de onde tirei, mas o fiz e sempre digo: a cada mil casais, um será eternamente apaixonado. Triste, né? Mas, é o que eu acho ou o que eu vejo por aí. Conheci dezenas de casamentos duradouros, mas e daí? Casamentos cheios de parceria, rotina, filhos e finanças ok. Não é isso que almejo. Não é.


Quero uma paixão arrebatadora, que me cause frio na barriga só de sentir o cheiro da pessoa, quero sentir saudade quando viajar (sim, eu gosto de viajar sozinha), quero ficar horas no telefone, me arrumar toda para os jantares especiais que teremos, ficar admirando o rosto, a pele, os cabelos, a voz... beijar sempre e intensamente. Daí, me chamam de iludida. Mas, sinceramente? Eu acho desiludido quem já aceitou que não vai viver um romance de cinema e quer uma amizade misturada com sexo papai mamãe pra chamar de casamento, pra sentir que atingiu estabilidade na vida. E me parece triste ser desiludido assim, suponho que sou mais feliz iludida como sou. Eu juro. Só quero casamento se for pra viver com adrenalina como tudo que faço na vida. Caso contrário não vai rolar, amigos! Imagine eu acordando todo santo dia com a mesma pessoa, indo dormir todas as noites tendo que dividir minha preciosa cama com alguém que não é meu gato, nunca mais ter um dia sozinha, dizer a adeus a privacidade que tanto prezo? A paixão se transformaria em desconforto.


Por isso eu digo, casamento é chave para o fim da paixão. Será que alguém aceitaria se casar comigo e morar numa casinha a umas quatro quadras de distância? Poderíamos dormir juntos com certa frequência - juntos não significa de conchinha -, mas eu não ia destruir seu tubo de pasta de dentes apertando ao meio, nem ele iria pendurar as toalhas de banho pelas cadeiras da casa, já seria uma puta economia de tempo de brigas, que poderíamos usar indo ao sexshop por exemplo... Me desculpem os românticos tradicionais, mas para mim, romance é paz no coração e agitação na rotina. O oposto de casamento. Sim, eu tenho uma visão distorcida a respeito desse assunto e talvez seja o caso de um psicanalista... Eu sei. Quanto a vocês, casais "um a cada mil", vocês têm toda a sorte do universo, é bom quando encontro um de vocês por aí a cada alguns anos.

Autor(a): Livia Emily

Data da Publicação: 30 de Abril de 2020.

Comentários

@eusoudaro comentou: Sensacional! ???????? Tanta verdade em cada linha... Tanta... honestidade! Pqp... parabéns!

Nágila Thainá comentou: Por que eu sempre encontro um pouco em comum que me faz sentir confortável e ao mesmo tempo temerosa, nestes seus textos?

Marcia Silva comentou: Ótimo texto. Acho que estou dentro dos "um casal a cada mil", não me vejo de outra forma.

Deixe seu comentário
Livia Emily - Magia e Vida
Copyright © 2020 - Livia Emily - Todos os direitos reservado. Desenvolvido por Wanderson Moreira