Livia Emily - Último encontro
Último encontro
Fiquei um tempo ali, em choque.
Após você sair.
Como é possível? Tantos sentimentos misturados, confusos, embolados por causa de uma pessoa só?
Você me teve e fez questão de perder. Fez questão de lamentar essa perda cada minuto do seu dia. Cada hora do seu sono que é interrompido pelos sonhos comigo.
Você escolheu.
Eu não escolhi me afastar.
Eu escolhi não sofrer.
Eu decidi não aceitar mais aquilo que você sempre me ofereceu.
Eu achei que havia decidido.
Eu rompi nosso cordão.
Eu achei que havia rompido.
Você apareceu, de repente. Me achou. Mais uma vez.
Tão lindo.
Eu leve. Doce. Amigável.
Recusei o beijo que me ofereceu.
Neguei o beijo que me pediu.
Recusei também o abraço, mas não porque não queria te abraçar, e sim porque não queria que você fosse embora.
Subitamente você me beija voraz. Não tive tempo, nem forças e nem vontade de correr.
- Você sabe que se não me pedir pra parar, não vou parar, né?
Você parecia me devorar, com a boca, com as mãos.
Eu me mantive em silêncio. - Tem certeza que você quer isso?
Eu precisava manter meu silêncio. Não tinha forças para falar absolutamente nada.
-Você tem certeza que quer fazer isso?
- Não - E o envolvi entre minhas pernas, com força, puxando pra perto do meu quadril
- Você tem certeza que quer fazer isso?
- Não. A porta! Tenho que fechar - fecho a porta e a janela e retorno para seus braços. - Tem certeza que quer fazer isso?
- Devagar.
Quando abro os olhos, vi o que já esperava... Você me olhando, me apreciando, me olhando além do que eu era no momento, como se visse em mim todo um mundo, todo um passado, todo uma vida, toda uma felicidade.
-Eu estava com muita saudade.
Gemido.
-Você é muito gostosa.
Ah.
-Você é muito, muito gostosa.
Gemido.
-Eu quero gozar. -Goza. -Não posso. Quero continuar te fodendo. Tá muito gostoso.
-Não goza em mim.
-Quer que eu coloque o preservativo?
-Sim.
E ele realmente pôs. O que me fez perceber que sim, ele veio preparado pra me comer. E dessa vez, pela primeira vez, disposto a não fazer um filho.
-Que saudade que eu tava.
-Você vai aguentar ficar longe?
-Não. Vou ter que voltar pra te ver de novo. Você deixa?
Eu ri.
-Você vai deixar?
-Sim - Eu ri.
-Você tá mentindo!
E ficou selvagem! Meteu seu dedo gostoso na minha boca. Que eu chupei como se fosse seu membro.
Nosso suor grudava em meus cabelos, que ele puxava com tanto gosto. Nossos corpos em perfeita harmonia, como sempre.
Após orgasmos múltiplos...
Enfim, fim.
-Estou velho.
-Estou destreinada.
-Abre a janela.
Abri.
-Abre a porta.
-Não - e coloquei o ventilador quase em cima dele.
Ficamos sentados, nos olhando.
Conversamos.
Sofremos.
Sentimos.
Pensamos.
Perguntamos.
- Eu já estava com saudade. Agora, vou ficar pior...
Sorri discretamente, como se o acolhesse.
-Você assimilou melhor depois que se mudou pra cá? -Eu já tinha assimilado antes de vir. Mas, estou sensível e será difícil explicar sem chorar. É raro eu chorar. Mas, não sofro. Evito pensar. Só é complicado saber que você também me ama e que isso não vai se repetir.
-Isso: nossa sintonia, né?
-É. Eu sei que há pessoas melhores que você. Mas, como aconteceu com a gente não vai acontecer de novo.
-Quando você vai me libertar?
-É você que sonha comigo, então eu que te pergunto, quando serei libertada?
Até que ele foi. Como um velho amigo. O meu amor.

Autor(a): Livia Emily

Data da Publicação: 06 de Maio de 2020.

Deixe seu comentário
Livia Emily - Amor e Sexo
Copyright © 2020 - Livia Emily - Todos os direitos reservado. Desenvolvido por Wanderson Moreira